quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Resenha

A ilusão é um pensamento invertido, por isso, prejudica a força criadora da vida. Quando se abandona a ilusão, o obstáculo é retirado, a força criadora passa a se manifestar livremente, desaparece a doença, todas as espécies de dores por si se desintegram e a infinita provisão do universo flui conforme o necessário para a pessoa... Retirada do livro "A verdade da vida".

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Pequenas Poesias

Hoje nascem flores
nesse teu jardim
que antes sem amores
abusou de mim
Não faça promessas
nem julgue os defeitos
que hoje seus direitos
pode reclamar
Quantas noites claras
secas e vazias
sem outras vasilhas
deixam gotejar
E o samba de antes
que hoje me devora
lembra a poesia
que ontem joguei fora
Hoje já sou diferente
não sou mais menino
dono do destino
como antigamente
Foi apenas parte 
de uma história
sonhos de momento
erros que nos levam
a vitória...

Danilo Pinoti

Pequenas Poesias

Nunca passe a frente do seu passo
isso é um passo atrás
eu ontem queria ver você chorando
hoje eu não quero mais
nessa rua tem tanta gente
que passa, esbarra e nem cumprimenta
a violência tomou cuidado
só pra pegar os desavisados
me dê mais um trago dessa bebida estranha
pra eu tomar tranquilo e ficar só
só escutando a tempestade lá fora
sozinho sem ninguém pra conversar
a solidão por vezes me apavora
 me torna prisioneiro de um mesmo lugar
não se alimente, com coisas más
não se aproveite, dos meus conselhos
seja você e depois vai perceber 
que é bem melhor 
seguir o seu caminho, sem atropelar nenhum ninho
e nem quebrar as asas de quem quer voar....

Danilo Pinoti

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Pequenas Poesias

A censura me deixou calado
mas agora eu falo aos ventos
o silêncio é letargia em momentos
tão velozes
venha e traga uma rosa
daquelas que cheiram de longe
que o vaso da janela vive sem vida
e eu preciso lhe dar um presente
os calos nas mãos são sinais
dos meus anos de aprendizado
sempre quis o amor sem vaidade
sem entulhos ou retalhos costurados
com fragmentos de visões antigas
e emoções passadas
quero um amor de alma limpa,
olhos marejados e euforia
de sentimentos verdadeiros
quero o simples amor sem silêncio,
sem solidão...

Danilo Pinoti

Pequenas Poesias

Eu sou sua sorte
a chave esquecida na gaveta a sala
seu mapa guardado no alto
que nem os seus braços conseguem alcançar
sou sua própria voz
aquela que te acorda do pesadelo
te ajuda quando está com medo
e te lava a alma quando quer chorar
sou a sombra que te acompanha
o reflexo do seu espelho
as chuvas do mês de janeiro
seu amigo mais sincero e leal
sou a tinta que sai da caneta
a idéia da sua cabeça
sou sua verdadeira noção
o gosto amargo da boca
o fel dos momentos de dor
sou a verdade que une as lembranças
o doce deleite do sentimento sincero
sou seu homem e sua mulher
sua face oculta do medo
a delícia de ser o que é
o caminho certo e o errado
Enfim, sou tudo que você quiser...

Danilo Pinoti

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Pequenas Poesias

As palavras deixam marcas
e quase tudo que eu sei
é que ninguém quer ver
e se soubessem
qual era a solução do problema
já teriam inventado a sorte 
ou um antídodo qualquer 
a teoria é sética nos momentos 
mais patéticos e absurdos
sem soníferos e comprimidos
nem os livros de auto-ajuda
o preconceito da burguesia inútil
e dos novos ricos sem conteúdo
alimenta a sociedade e enfraquece
o coração dos simples de alma pura
e inunda um futuro sujando a mente
limpa das novas gerações...

Danilo Pinoti

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

O comodismo é o caos da humanidade

Se fosse por amor eu saberia
a tristeza era veneno
e a tempestade, chuva breve
não me traga seus problemas
seus falsos problemas
nem me venha com sintomas 
de adulto revoltado
quero solução para o agora
amanhã já não se sabe
quem pensa diferente 
pensa em mudança
o comodismo é o caos da humanidade...

Danilo Pinoti

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Pequenas Poesias

Quantas construções
tijolos feito a mão
tintas de pintar poesias
paredes que sobem aos montes
e realizam sonhos
andares que guardam segredos
dos solos que foram um dia
o que agora sustentam pilares
no sobe e desce tudo acontece
no entra e sai a vida se esvai...

Danilo Pinoti

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Pequenas Poesias

Seis horas da tarde
e a avenida é paulista
cheia de todos os tipos
sons e luzes gritantes
ternos e vestidos longos
todas as modas no mesmo lugar
alto, pequeno, menina ou bandido
quantos sorrindo sozinhos
e outros montando bazar
louca avenida de todos
passe por onde passar
nesse vai e vem inconstante
sempre deixando voltar...

Danilo Pinoti

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Pequenas Poesias

Todas as meias doses
que os fracos pensam tomar
são venenos enlatados sem validade
um segundo é a vida toda
e o resto é ilusão banal
nos muros nascem decretos
pinturas modernas 
ou algum verso atual
sou o aveso desta verdade
o final da existência real
o que cai do céu não é meu
nem de quem quiser
são sonhos que talvez possam 
ser vendidos por um camelô qualquer
será que saberemos o que dizer
quando o inverno chegar trazendo 
o tédio intenso e a sombra da nova
verdade ideal?
quero no entanto ser poeira do novo
verão, pra talvez me deixar levar 
pelo vento, pra onde o vento quiser me levar...

Danilo Pinoti

Pequenas Poesias

A intençāo do amor
é um gesto, uma verdade
um sentido diferente
algo de quem tem coragem
belos dias de sol 
noites de luz intensas
surge dentro de mim
Lugares que não tem fim...

Danilo Pinoti

sábado, 3 de dezembro de 2011

Pequenas Poesias

Hoje a lembrança é passado
passado que nunca foi meu
segredo nunca contado
verdade que não se escreveu
seus olhos parados no tempo
um tempo que nunca foi seu
momentos hora esquecidos
meu mundo agora sou eu
um eu que estava perdido
em um livro que vida nāo leu...

Danilo Pinoti

Simples Assim

Vamos viver o simples para que nāo haja mais sofrimento...
Aloisio

Pequenas Poesias

Parte de mim sabe tudo
e a outra não quer nem pensar
sei como lidar com isso
mas não consigo tentar
pensamentos devorando sonhos
por vezes fácil de realizar
quero encontrar um segundo
pra devolver seu lugar
no simples desejo embutido
verdades trazidas do mar
meus pés em contato
com a terra, e um ar puro
pra respirar...

Danilo Pinoti

Pequenas Poesias

Te encontrei no caminho
escolhido pelo destino
lugar comum qualquer
no momento que eu 
mais precisava
no início da nova jornada
você encontrando 
outro eu
e o meu eu devolvendo 
o seu...

Danilo Pinoti

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Pensamentos Vagos

Chega uma hora que é preciso tomar as rédeas da sua vida e seguir o seu caminho, porque se não, as pessoas fazem isso por você... 


Danilo Pinoti

Simples Assim

As lembranças tristes são sentimentos que nos fazem crescer e  olhar pra frente, sejam felizes.


Aloisio

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Pequenas Poesias

Um brinde a nova vida
meu sonho enfim de volta
e a casa cheia espera
a minha volta
viver um sonho novo
sem espelhos quebrados
a minha face me transforma
e me devolve a sanidade
me encontro agora
cheio de novidades
de ser novamente a verdade
que fui um dia
voltei...

Danilo Pinoti

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Pequenas Poesias

O meu medo é inconstante
mas não sobrepõem meus sentidos
me escondo e me perco
nos becos do vilarejo
nas bocas das mentes sujas
no cio da minha vontade
sem amor o corpo condena
joga a alma a deus dará
me transforma em coisa pequena
e me devora sem pensar...

Danilo Pinoti

terça-feira, 20 de setembro de 2011

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Pequenas Poesias

No gole seco
seco de doer os dentes
dentes de morder a carne
carne que alimenta a fome
fome que invade o corpo
corpo que devora o tempo
tempo que consome tudo
tudo que hoje resta pouco
pouco que agora é verdade...

Danilo Pinoti

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Pensamentos Vagos

Nem todo mundo que vem do passado, significa que tem coisa pra limpar...

Danilo Pinoti

Pensamentos Vagos

O início de cada momento é uma chuva de inquietações, mas acreditar na sua capacidade é o que te faz ir em frente...

Danilo Pinoti

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Pequenas Poesias

O arco que cruza a cidade
fez-se luz meu anoitecer
a lembrança que hoje se tarda
sem poemas de sol pra acender
loucos versos
poemas perdidos
ir e vir com seu jeito de ser
uma história que sai da gaveta
te devora e se entrega ao prazer
sou criança ainda que perdida
que olha o céu com tamanha emoção
sou poeta da sala escondida
sou seresta bailando o sertão...

Danilo Pinoti






segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Pequenas Poesias

Pele, toque, inumeras sensações
sabor nunca descrito
som que só o coração provoca
é assim que o corpo responde
é assim que a alma respira
somos um na verdade
sem ser mais
sem ser só
somente vida...

Danilo Pinoti




















domingo, 14 de agosto de 2011

momentos...


Pequenas Poesias

O destino são todos os dias
nos pés dos meninos
cédulas de comunhão
silêncio das noites tranqüilas
os sonhos de agora
não tem confusão
tijolo a tijolo ergue o espaço
e acolhe entre os braços
um abraço ou um arpão
e hoje no espaço perdido
Um sorriso, um sentido
Um eu com você...

Danilo Pinoti

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Pequenas Poesias

Longe de você
o tempo faz sentido
falta tudo em mim
e o sonho é pesadelo
sou você assim
figura além do meu espelho
faço desse o meu momento
e te transformo em Sol
que brilha ao longe
e traz o vento
o cheiro e um sentimento...

Danilo Pinoti

domingo, 17 de julho de 2011

Pensamentos Vagos

"Porque se preocupar com o tempo, se o amor acontece no exato momento do encontro com alguém que esperava você..."

Danilo Pinoti

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Grandes escritores

Renda-se, como eu me rendi.
Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei.
Não se preocupe em entender,
viver ultrapassa qualquer entendimento.
 
Clarice Lispector

Pequenas Poesias

Faço desse novo tempo
uma pagina em branco
que escrevo pra você
mesmo sem olhar nos olhos
tenho tanto pra dizer
lua mesmo que tardia
já iluminava sem saber
no escuro que estava sem
seu brilho, sem seu sorriso
sem você...




Danilo Pinoti

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Grandes escritores

" Nossa loucura é a mais sensata
das emoções; Tudo o que fazemos
deixamos como exemplo para os outros
que sonham um dia serem assim como nós
loucos...mas felizes!"

Mario Quintana

Pequenas Poesias

Me perco na sua presença
perco o medo de me apaixonar
me reforço e me torno um guerreiro
luto contra quem quer me deixar
sou poeta da velha marinha
do sereno da beira do mar
suas frases me levam a deriva
te encontro e me deixo levar
antes fosse a singela cantiga
do menino que gosta de ousar
tamanha a minha vontade
que te sinto sem antes pensar
velha estrada de terra batida
que passa descalça e permite me usar
quem sou eu que não tenho esperança
nesse mundo que falta lugar…

Danilo Pinoti

Pequenas Poesias

Não me importa se você já decidiu
hoje eu não quero mais o seu jardim
secou a raiz por falta de água
por tantos dias de solidão
hoje eu me importo com meus sentimentos
antes esquecidos por causa dos seus
hoje eu permito uma porta entreaberta
som de gaveta fechada em silêncio
vai, certa de que a vida nos apresenta
novas caras, novas diretrizes
é o ínicio de um novo caminho
que andando sozinho
volta a ser seu...

Danilo Pinoti

terça-feira, 10 de maio de 2011

Pequenas Poesias

Pequenas Poesias

Queria esquecer do mundo
na velocidade do segundo
uma vez entendido o medo
deixa de ser segredo
Passa a ser diversão 
olhos de olhar sentença 
prepara a vingança certa
e tenta não se descontrolar
minha vontade nem é pecado
nem faz sujeira ou discorda em partes
sou som de pedra 
e carrego um certo pudor
sou o suor da febre
que escorre o rosto ardente
e morre na boca do pecador...

Danilo Pinoti

sábado, 7 de maio de 2011

Pequenas Poesias

As coisas se perderam
o mundo revelou o seu segredo
as guerras sempre comandaram
e o medo era real
a burguesia comanda o relógio
na hora certa dos discursos medíocres
a morte apresenta as armas
para os fracos e oprimidos
sem identidade, sem compromisso
o real se torna pequeno
faz parte da evolução regada a fel
as cartas mostram suas ordens
e fica sendo abstrata a opinião
flor pra que?
se a bala é mais veloz
mas não atinge a impunidade
vamos fingir que não é real
e viver na nossa história
construídas com mentiras
veneno de adormecer...

Danilo Pinoti

Pequenas Poesias

Me perco na sua presença
perco o medo de me apaixonar
me reforço e me torno um guerreiro
luto contra quem quer me deixar
sou poeta da velha marinha
do sereno da beira do mar
suas frases me levam a deriva
te encontro e me deixo levar
antes fosse a singela cantiga
do menino que gosta de ousar
tamanha a minha vontade
que te sinto sem antes pensar
velha estrada de terra batida
que passa descalça e permite me usar
quem sou eu que não tenho esperança
nesse mundo que falta lugar...

Danilo Pinoti

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Pequenas Poesias

Sem solidão
não tem poesia
sem sentimento
não fica a saudade
vem e trás seus segredos
circula o chão e leva a
dança e a brincadeira
e o que desfaz-se em partes
é derramado em próprio leito...

Danilo Pinoti

Pequenas Poesias

Pense a minha vontade
Cante a minha saudade
Viva a minha verdade
Seja a minha metade...

Danilo Pinoti

sexta-feira, 18 de março de 2011

quinta-feira, 10 de março de 2011

Pensamentos Vagos

Aqui estou com a minha insônia que não me deixa dormir, deve ser medo dos meus sonhos ou do amanhã que está por vir...

Danilo Pinoti

quarta-feira, 2 de março de 2011

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

O início do último dia da minha vida

Hoje é o início do último dia da minha vida
Vida que hoje vejo bem vivida
Amores e retratos
Verdades e longos beijos
Perdido no encontro do seu desejo
Sorrisos cheio de gargalhadas
A febre que veio na hora errada
Sem pressa cheguei no final do dia
Pra ver o adeus de quem não partia
A fome e o medo que o mundo ensina
Prepara o berço e devolve a cria
Hoje entendo o que me falava
Vejo o triunfo desse momento
Sonhos que fazem todo sentido
Som que não sai do meu pensamento...

Danilo Pinoti

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Pequenas Poesias

Que som é esse
que lava minha alma
que invade a minha calma
me provoca o irreal
pouco do bem
com pitada de mal
transforma em imagem
a sombra que sou
faz da mente a passagem
para o minuto antes da dor...

Danilo Pinoti








quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Faxina da alma



Faxina da alma
Não importa onde você parou,  em que momento da vida você cansou.
Recomeçar é dar uma nova chance a si mesmo, é renovar as   esperanças na vida e, o mais importante, acreditar em você de novo. Sofreu muito  nesse  período? Foi aprendizado. Chorou muito? Foi limpeza da alma. Ficou com
raiva das pessoas?
Foi para perdoá-las um dia. Sentiu-se só por diversas
vezes? É porque fechaste a porta até para os anjos.
Acreditou que tudo estava perdido? Era o início da tua melhora.

Pois é... agora é hora de reiniciar, de pensar na luz, de
encontrar prazer nas coisas simples de novo.
Um corte de cabelo arrojado diferente, um novo curso, ou aquele velho desejo de aprender a pintar, desenhar, dominar o computador, ou qualquer outra coisa. Olha quanto desafio, quanta coisa nova nesse mundão de meu Deus te esperando... Ta  se sentindo sozinho? Besteira, tem tanta gente que você afastou com o seu "período de isolamento".

Tem tanta gente esperando apenas um sorriso teu  para "chegar"  perto de você. Quando nos trancamos na tristeza, nem nós mesmos nos suportamos, ficamos horríveis. O mau humor vai comendo nosso fígado,  até a boca fica amarga. Recomeçar...
Hoje é um bom dia para começar novos desafios.
Onde você quer chegar? Alto? Sonhe alto! Queira o melhor do melhor. Queira coisas boas para a vida. Pensando assim, trazemos prá nós aquilo que desejamos.

Se pensamos pequeno, coisas pequenas teremos. Já se desejarmos fortemente o melhor e, principalmente lutarmos pelo melhor, o melhor  vai se instalar na nossa vida. E é hoje o dia da faxina mental.
 Jogue fora tudo que te prende ao passado, ao mundinho de coisas tristes. Fotos, peças de roupa, papel de bala, ingressos de cinema, bilhetes de viagens e toda aquela tranqueira que guardamos quando nos julgamos apaixonados.
Jogue  tudo fora, mas principalmente esvazie seu coração. Fique pronto para a vida, para um novo amor.
 Lembre-se, somos apaixonáveis, somos sempre capazes  de amar muitas e muitas vezes, afinal de contas, nós somos o "Amor".
Porque sou do tamanho daquilo que vejo, e não do tamanho da minha altura.

 Carlos Drummond de Andrade





sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Pequenas Poesias

Água, agonia
o medo da chuva
um dia sem sol
Água, alegria
na seca da lida
um rio sem anzol
Água, magia
que brota da vida
nas ondas do mar
Água, vazia
de noite ou de dia
se encontra o lugar...

Danilo Pinoti

Pequenas Poesias

Ser, ser humano
Ter, termômetro
Realizar-se...

Danilo Pinoti

Pequenas Poesias

Faíscas de pequenos versos
seu nome em nome do meu
as outras poucas que se acertam
nem sonha o que o mundo te deu
quando a noite se mostra pequena
é porque longe uma alma se espreme
são essas tantas palavras
que brotam em pensamentos
no exato  momento
do início da nova emoção...

Danilo Pinoti