terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Pequenas Poesias

Longe do tempo do bem
o filho retorna pra quem?
os carros se tornam inúteis
e as facas não cortam os dentes
acho que não sou mais o sonho
que você derramou
ando sozinho e sempre sorrindo
não fecho os olhos para o que
quero ver
embarco nas velas do forte
e o mar se torna pequeno
na imensidão do meu desejo
do medo que não sei contar
dos versos que se pode errar
fez-se o mundo em meu lençol
e entrego a ti o meu lugar...

Danilo Pinoti

Nenhum comentário:

Postar um comentário