quarta-feira, 13 de outubro de 2010

1º concurso de Pequenas Poesias


Meio poeta meio filósofo
Ser incompleto
Desapego pendente
Inclinado para o apego
Sob a luz da reflexão
No calor da emoção
Dualidade condizente
Com esse coração que inflama
Que no fundo sabe que ama
Embora nunca saiba o que é amor
Seja como for
Pode ser calor, dor, fulgor
Contato, atrito restrito ao tato
Laço mais fundo que a alma
Sentimento forte que não acalma
Posso dizer tudo
Posso dizer nada
Mentiras vastas desenfreadas
Daquilo que não se pode descrever

Túlio L. Fagundes

2 comentários:

  1. fico feliz que tenha gostado desta poesia, é uma das minhas favoritas

    ResponderExcluir