terça-feira, 17 de agosto de 2010

Novos Contos Curtos

Sem aviso a tempestade chega e a cidade toda se aproxima dos pecados que os tolos temem. As promessas e os hinos tocados pelos servos e solistas, louca a tarde que ali vadia, não pergunte o que com certeza será respondido.
A pequena parecia bem cansada e tentou se apresentar:
  - faço parte da bancada e queria lhe falar, dos meus dias e do meu medo de sonhar...
Quer mais um trago do veneno?
  - Se for por mim, sim por favor!
Então tome um gole e sinta seu gosto.
  - Tem um sabor delicado, mas um fundinho que amarra a boca.
Feche os olhos e pense no seu sorriso que a face se esforça pra esconder, lembre-se da sensação de estar aqui.
  - Acabo de sentir o gosto se esvair da saliva.
Grato por ter me servido da visão que acabo de ter, preciso partir e acalmar o que a de ser.
  - Gostei do que me fez sentir, gostei de ti, leve contigo meu pingente de São Jerônimo que a proteção lhe será bem vinda. Adeus
  - Até breve é o meu adeus sentido...

Danilo Pinoti




Um comentário:

  1. Danilo,
    acompanho vc já um tempinho e gosto muito de seus contos,e quero te dizer que esse é tão profundo,cheio de uma verdade que nossa fiquei encantada,quando o li parecia que era eu no conto...Você é muito bom e continue assim,faço questão de divulgar seu blog...

    Sucesso torço por vc!

    ResponderExcluir