sexta-feira, 16 de julho de 2010

Pequenas Poesias

Queria não ter aberto a ferida
o amor é cruel e insensível
rascunhos em folhas de papel de carta
rasuras e desenhos engraçados
o mar que leva a angustia
não cruza a estrada
vomita desejos e engole verdades
sempre tem alguém que me espera
sentada na esquina da rua deserta
perdida em seu infinito lugar
viver partindo é encontrar sempre
um sentido das horas
brincando de chegar a lugar nenhum
vamos todos ver o dia do silêncio
triste das salas sem mobílias
e dos quadros mal pintados
antes de ir me avise para não
deixar de ser novidade...

Danilo Pinoti

Nenhum comentário:

Postar um comentário