quarta-feira, 23 de junho de 2010

Pequenas Poesias

Quando passa o tempo
e resta só silêncio
se faz início
de um fim constante
as horas são tão pouco usadas
e o sono nunca quer chegar
a tristeza que a face esconde
dos desejos que ninguém contou
meia lua hoje se mostra inteira
tão mais clara parece ter cor
os passos que te seguem
faz-se sombra de que já passou
são lembranças dos poetas leigos
que se inspiram no que alguém contou
nas janelas entreabertas
dos delírios solitários
abre a porta do pecado
e começa o pesadelo
o medo é a parte mais sensata
da escuridão daquela estrada...

Danilo Pinoti

Nenhum comentário:

Postar um comentário