segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Pequenas Poesias

Pelo simples pecado
pelo ato não feito
pela culpa incompleta
pelo nada agradável
outras horas se passam
algo novo absorve
e o sentido molesta
o corpo que não se move
o acaso é perfeito
e os sonhos sempre intensos
a rosa que transborda o perfume
que esconde os espinhos
e amortece a dor das lembranças...

Pequenas Poesias

Quando as almas se tocam
foge o sentido
sopro ao ouvido
loucos de amor
minutos intensos
ao som da canção
e os dias que se seguem
se transformam em um só
pobres, loucos e apaixonados
livres, soltos e aprisionados....

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Pequenas Poesias

Um certo olhar que me engole
e transforma cada encontro em poesia
sensações nunca sentidas
e tão pouco vividas
num simples estalar de um beijo
o silêncio abortando o desejo
da lua que sem permissão
fotografa nossos momentos
seu corpo desenhando em torno do meu
os nossos mais singelos segredos...

Pequenas Poesias

Os meus sonhos são realizáveis
meus dias serão de todos nós
sinto falta das suas idéias
e do seu sorriso
sinto medo do escuro e da solidão
a luz que brilha forte no final da estrada
nos guia a vida em fortes tempestades
mas tamanhas realizações
o ir e vir da nossa alma
o forte abraço da pessoa amada
entrega um terço de verdade
e o resto de sentimento puro...

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Pensamentos Vagos

A realização é a alma da nossa conciência.

Pequenas Poesias

Hoje vendo que nada é impossível
sonhos e sorrisos
dias e desejos
a nova era está próxima
e os meus desejos são certos
ventos que sopram ar de poesias
carinhos e abraços
outras vidas
regras que mudam sem nada dizer
alguns meninos pedindo atenção
a fonte que jorra perfumes diversos
e encantam o ar como flores ao vento
janelas abertas e pessoas atentas
olhando a cidade que queima e envenena...

Danilo Pinoti

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Pequenas Poesias

Hoje talvez nem se lembre dos seus olhos
falta coragem pra olhar para o outro lado
simples como a flor que brota no meio do nada
cego como a força que nos carrega pra longe
preso nas marginais que desembocam o caos
livre e solto caindo em seus braços nus
loucos de tanto andar com pés descalços
molhados de suor e chuva forte
temperos e sobremesas
e outras lembranças vagas...

Danilo Pinoti

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Pequenas Poesias

Somos todos amantes
dos corpos suados e quentes
amores, encontros e despedidas
tragédias e contos de amor
coisas que é melhor nem saber
ilusões que aparecem nas cores
num surto da inocência perdida
e nos simples olhares parados
estamos todos nus aos olhos
dos nossos inimigos
suor e devaneios imperdoáveis
vidas sem rumo
todos seremos um...

Danilo Pinoti

Pequenas Poesias

De que vale a vida
se não pela sua intensidade
de que vale o sorriso
se não pelos belos momentos
de que vale o segredo
se não pela amizade
todos os minutos são poucos
em frases de efeito
e promessas não citadas
vemos o silêncio cercado de caos
e a solidão como presente infeliz
de uma verdade que os livros
escondem entre as páginas
e os dias que brotam caridade
e atropelam sonhos...

Danilo Pinoti

sábado, 7 de novembro de 2009

Pequenas Poesias

Pelo simples traço do desenho
saberemos se tem verdade
pelo quente sabor de seus beijos
que come a boca e esquece as desventuras
leve como a gota que cai do seus olhos
lendas cortadas a faca
vendas nos olhos alheios
circulo de fogo queimando os segredos
medo do dia nunca acordar...

Danilo Pinoti

Pequenas Poesias

Corpos em copo de leite
febres e calafrios
sombras ardem sem se quer
sol ter
amores são diversos
encontros são solitários
segredo só convence a quem seduz
e o sorriso saboreia a liberdade
da falta que me faz seus dias
encontro comigo agora
e sinto que falta um pedaço
do muito que já passou...

Danilo Pinoti

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Pequenas Poesias

Perto da casa simples
dentro de um mundo novo
alguém ao meu lado
em silêncio continuo
descobertas surpreendentes
pessoas que a tempos não via
momentos de festa e comemorações
seguindo sozinho um corredor aberto
encontrando pessoas perdidas
acolhendo sempre alguém que chora
pessoas bonitas e pessoas escondidas
ouvindo sempre pra não olhar para trás
e seguir em frente passando por cima dos desafios
no final uma porta se fechando e a escolha sem muito tempo
do lado de lá da decisão, alguém especial me espera
com notícias que soam tristes quando lidas, mas quando interpretadas
abre nossos olhos e nos apresenta
uma nova vida ganhando vida...



Danilo Pinoti

Pequenas Poesias

Momentos perfeitos
olhares trocados
uma imensa sensação de euforia
o toque nos transforma em um só
os rostos inundados nos permite
ver a alma alheia
a intimidade invadindo nossos olhos
e o desejo nos queimando o corpo inteiro
quando sentimos ta sensação
as energias pairam em volta da cama quente
e o suor tem sabor de segredos dividido entre
dois corpos e paredes manchadas de nós dois....

Danilo Pinoti

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Pequenas Poesias

O que vai dentro do coração
quero viver um amor sem sofrimento
quero entender os seus olhos
e viajar nos seus braços
pequeno pedaço de tempo
o relógio para e volto a dormir do seu lado
sem mentiras, sem fantasia
quero me perder nos teus instantes
espero o que for preciso
o tempo não é o problema e sim um surto
que a calma nos permite alcançar...

Danilo Pinoti

Pequenas Poesias

Sentindo a presença que me faz falta
suprindo o sorriso dos nossos momentos
tentando buscar o instante que o fim
deu as caras
atrás das lembranças perdidas
no meio do caminho
suave são seus passos
que invadem meu quarto
e na loucura do momento
o mundo La fora se transforma em silêncio...

Danilo Pinoti

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Pequenas Poesias

Meus pensamentos são vagos
perdidos em pequenas poesias
em frases sem sentido
em versos sem rima
escrevo em blocos de papel
dias de sofrimento
alegrias e sentimentos
momentos que passam mais rápido
quero envelhecer de olhos abertos
poucos serão muitos e todos serão certos...

Danilo Pinoti

Pequenas Poesias

Passando perto do céu
acima das nuvens carregadas
sentindo a suave brisa
que não permite um sopro
voando alto sem sair do chão
vivendo amores e conhecendo o mundo
sorrindo quando quiser
chorando quando convém
das noites perdidas sem sono
encontros marcados e desencontros perdidos
lua em noite de singelo sentimento
cada caso em forte sentido
cada qual perdido em frases e pensamentos...

Danilo Pinoti

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Pequenas Poesias

Como é o amor
uma gota de chuva
na imensidão do mar
uma lágrima que cai sobre
o rosto triste de um anjo solitário
não posso entender
qual o motivo do seu pranto
se os anjos não choram
quem te fez tal ofensa?
vocês amam cada ser
cada pedaço do espaço
o céu o amor
é o sentimento urgente
de todo ser humano
seu rosto transmite paz
seus olhos brilham feito estrelas
e os dias passam serenos
anjos de cada um
sinos que tocam festa...

Danilo Pinoti

Pensamentos Vagos

O acaso é o universo do sentimento.

Danilo Pinoti

Pequenas Poesias

Arde sol
na pele seca e frágil
deixe as portas abertas
para que eu consiga entrar
transforme o que te faz feliz
e some o incerto
por perto passa a sorte sem solidão
feche os olhos da alma
abra um pequeno livro e sinta
o momento da escrita
perca o medo das palavras
sinta o gosto do ar se transformando
em vendaval
pobre coração que não cabe amor
livre somos até surgir novas conquistas...

Danilo Pinoti

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Pequenas Poesias

Perto do rio escuro
dentro do por do sol
bela paisagem e som de poesia
voltas em circulo, dia quente
no meio do nada os pensamentos correm
beijos no fundo das águas
silêncio de olhos atentos
caso complicado, sonhos resolvidos
papeis escritos com  tinta derretida
certos os meus olhares sobre os seus pedidos...

Danilo Pinoti

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Pequenas Poesias

A praia está deserta
o silêncio é contínuo
só o som das ondas
que chegam a beira mar
e levam meus pensamentos
todo dia sugere uma canção
cada dia é um passo para o amanhã
acordo com o barulho das ondas
será que vieram me buscar
olho para o alto e vejo
as nuvens tão fórmicas
de um jeito simples e lindo
o sol me cega
mas me deixa ver além
em um lugar desses
quem não se entrega ao suspiro
e ao desejo.

Danilo Pinoti

Pequenas Poesias

Encantado com seus olhos
buscando encontrar seu sorriso
perdido nos passos que te conduzia
tentando buscar o suor tímido
e o som do estômago que tremia o corpo todo
me trazendo para outros tempos
encontrando em ti as palavras sussurradas em fortes estrofes
como pequenas poesias de amor...

Danilo Pinoti

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Pequenas Poesias

Ser pintado de branco
ser cansado de sono
sou sincero e perdido
sempre caindo nas mesmas armadilhas
prego de aço sem cabeça
tantas perguntas sem respostas prontas
ouço as canções que falam de amor
e brotam poesias em vasos de barro
casa de vidro
sombras em galhos
senimentos enormes
frio e sede seca a boca
para onde vamos não sei
o que faremos no final
que final?

Danilo Pinoti

Pequenas Poesias

Quantos segredos serão revelados
cegos são os dias que seguem sem rumo
certa é a direção
rara minha alma que me acompanha
o princípio do abandono
é o início da solidão
outras coisas se perdem no caminho
não nos permitindo encontrar
forte a onda que leva o sal do seu corpo
e completa seus pensamentos
na imaginação perfeita de algo real...

Danilo Pinoti

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Pequenas Poesias

Pequenas folhas que caem com o vento leve
me despede de uma fase de tensão e medo
forte sou se assim me aceitar
leve e sereno faz parte do meu sentido
olhando sempre em frente vejo meus passos de longe
passos que ainda não dei
sonhos que ainda virão
dias que sempre contei
outras faces do meu mundo
que perdidas, hoje se encontram comigo novamente
velhos sábios e amigos verdadeiros
palavras que fazem pensar
e sentir no fundo da alma
a vida novamente viva.....

Danilo Pinoti

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Pequenas Poesias

Estou na casa das confusões
pronto pra me atirar no meio da sua idéia
leve de fato, peso em excesso
caos nos meus passos
ruas tortas e carros quebrados
minha vida passa sem rodeios
meus olhos abrem e fecham calados
só falta o meu corpo suar de frio
pra que eu possa me jogar na tempestade
que não descansa...

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Pequenas Poesias

Caixas e comprimidos
dias sem sol queimando
pele com pele
toque perfeito
distante e tão perto
fora de mim
mas muito dentro de você
cacos de vidro
queda de braços
forte é meu sorriso
que esconde sentimentos
brasa que escorre
pelo seu corpo
gela seu fogo
e esfria seus poemas
medo do escuro
foco central
altos e baixos
sono atrasado...

Danilo Pinoti

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Pequenas Poesias

O fogo fere a faca firme
e o resto do fogo do sol
queima a nossa alma
somos fortes sim, será?
sonhos curtos
erros e acertos
me perco entre os becos
e decolo de olhos abertos
direto para o certo abandono
por vezes caminhamos sem rumo
e encontramos dias perfeitos
e pessoas com pressa
outros sinais vêem com o vento
que sopram cores de amuletos
mas sempre cores com sabor...

Danilo Pinoti

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Pequenas Poesias

Quantos segundos restam para o inicio do fim
meu medo é aceitável, mas sem sentido
quero ver seus últimos segundos
da janela do meu novo andar
qual palavra ainda não foi falada
sentimentos e outras intenções
o salto é fantástico e a queda é inevitável
somos todos iguais na metade do jogo
outras fotos ainda não foram vistas
e as cores desaparecem com o tempo
mas o sentido fica impresso por toda vida
quero então fugir dessas pedras
que invadem meu caminho
e seguir em frente até achar o alvo dos meus desafios...

Danilo Pinoti

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Pequnas Poesias

Alguns pensam miséria
outros pensam bobagem
velhos pensam na morte
muitos não querem pensar em nada
as crises são da minha cabeça
que fritam os neurônios
e grita forte sem nada ecoar
antes tarde do que de avião
meus pés não aguentam mais andar descalços
está frio aqui desse lado
tem muita gente com olhares fixos
e somente sombras
pensei em correr, mas não faz sentido
quero ficar próximo da minha voz e ouvir
meus pensamentos no silêncio da gritaria que não cessa...

Danilo Pinoti

Pequenas Poesias

Que foi loucura é fato
olhar no fundo dos seus olhos
e ver seus segredos
entrar no seu interior e ver seus sentimentos
gota pequena com simples detalhes
sentir seu cheiro e provar seu gosto
no impeto da breve sensação de voar
sonhos contados somente por intervalos
outras coisas acontecem
e nossos dias não conseguem acompanhar
como correm os ponteiros e as palavras
perdem-se no ar
quero tentar entender as surpresas do amanhã
para que tudo acorde sem susto
no suave gesto que é fato... acontece...

Danilo Pinoti

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Pequenas Poesias

A outra face do meu ser
se esconde quando tem que aparecer
quantos dias pensei em sair correndo
mas nem sabia de quem
quero agora, depois do turbilhão
fazer o que quiser sem me preocupar
com o que todos pensam de mim
quero viver dia após dia pensando
em tudo que não fiz e gostaria de fazer
sempre acreditando em tudo que
me faz bem e feliz
vamos viver.....só viver!!!!!

Danilo Pinoti

Pequenas Poesias

Parte de mim faz sentido
outra parte não
parte escolhe um caminho
outra parte segue reto
parte canta canções antigas
outra novidades
parte se encontra sempre
outra parte vive perdida
parte acorda cedo
outra parte dorme acordado
todo tempo, sonho com tudo
e todos fazem parte
cada um em sua fase
vivo entre seus encontros
sempre chegando na hora certa...

Danilo Pinoti

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Pequenas Poesias

Ar, falta de ar
som, ecos de onde?
luz, foco central
sol, sinto queimar
dias e dias perdidos
medo, segredo e sentido
loucos aos montes
cegos de olhar
carros na estrada
tentando chegar
pessoas em fila, contas a pagar
o que perguntou ,o velho com barba?
dos bueros brotam sementes
atiradas com o vento
e mãos afiadas
na tela azul da minha vida
encontro segredos e o que sobra dos dias
que passo sem pensar em nada...

Danilo Pinoti

Pequenas Poesias

Os muitos retratos na parede
revelam vestígios de vidas passadas
sombras de algo novo e perdido
pedras, ruinas e filmes de rolo
não seria certo se fosse diferente
pessoas presas entre as camadas da parede
entre as cercas eletrificadas
e fios desencapados
nos poucos dias de sol ardente
te encontraria de braços abertos
pra te mostrar um pequeno gesto
e uma gota de eterna lembança
finos como grãos de areia
e leves como um sopro de esperança.

Danilo Pinoti

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Pensamentos Vagos

O sentido da vida é somente sentir...

Pequenas Poesias

Não quero que o céu feche do nada
e esconda o sol forte que nos cega
não prende o caos do meio termo
que surge no sentido horário
as fortes rajadas de som
que cruza nossos corpos sem sentido
e sempre parece tão sério, quando falamos
sozinhos
quero entender e escalar as paredes da minha
ignorância para saber o que o outro lado mostra
de bom
o som é forte e tem cor
e nossos ouvidos são filtros que quase sempre
só ouve o que quer...

Danilo Pinoti

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Agradecimento

Queria agradecer a todos pelas belas palavras, da vontade de escrever muito mais...
bjs

Danilo Pinoti

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Pequenas Poesias

Outros dias claros sem chuva
caros amigos sem paradeiro
simples gestos de corpo inteiro
imenso o mar que nos salga o corpo
outros dias sem compromisso
novos rostos de face perfeita
encontrando meu eu num segundo
casos perdidos sem explicação
dias de novidades, coisas assim
perto ou longe
noites sem fim...

Danilo Pinoti

Pequenas Poesias

Aonde estão todas as sombras
escondidas nos cantos fechados?
sempre tem quem se esconde do lado
perto ou longe do que é certo fazer
outras coisas tão simples, vazias
encontrando sua parte perdida
o lado da lua previa
um eclipse total, mas sem cor
hoje ainda faltam todos os dias
pra que possamos entrar no início
da era do amor e da parte que ninguém
nunca viu...

Danilo Pinoti

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Pequenas Poesias

Algo de novo
deve surgir
daquele pedaço de papel sem cor
devemos todos pisar no chão
como se fosse caminhar nas águas
frias do oceano
vento contrário me leva para o início
de onde tudo começa sem sonhos
algo de novo
deve surgir
nas noites frias do inverno suave
loucas perdidas
na estrada sem fim
encontram o medo sem ao menos sentir
fico pensando em como vai ser
depois desses dias que não conseguimos ver
algo de novo
deve surgir
e espero que que ainda estejamos aqui...

Danilo Pinoti

Pequenas Poesias

Foco de luz
sonhos de amor
tantas histórias
vidas sem dor
faces tão lindas
gestos coloridos
almas suaves
meu mundo
seu mundo
nosso mundo
homens somo todos
prontos pra viver em paz.

Danilo Pinoti

sexta-feira, 31 de julho de 2009

Pequenas Poesias

Pensando no pouco que sei
sentindo o pouco que vi
somente meia face do seu rosto
me tirou o sentido
Penso no pouco que é certo
e nos corpos vazios
Penso nas frases corretas e nos dias perfeitos
embarco nas suas palavras e mato a sede
nas suas aventuras
Perco o medo do amanhã e me entrego ao elo virtual
das minhas loucuras incertas
é bom me envolver nos seus moldes e saber suas rimas.

Danilo Pinoti

terça-feira, 28 de julho de 2009

Pequenas Poesias

Toda vez que eu te vejo
nos lugares te desejo
e não basta uma imagem
um poema, que viagem
ficar aqui sozinho olhando a noite se acabar
o mundo conhece o segredo
e eu não tenho medo de me aventurar
todo dia eu me lembro
do dia que eu te conheci
estou aonde o sorriso se esconde
e não quero sair
e mais tarde eu e vejo
sem segredo e sem saída
sem ninguém pra dividir a minha vida.

Danilo Pinoti

Pequenas Poesias

As ruinas estão tortas
nos quadrinhos não tem cores
e nas curvas não em voltas
nem o sol transmite odores
a lua que sempre vinha
hoje já nem da recado
e a chuva que caía
acabou secando o lago
tem algo errado e eu queria entender
mas nesse tempo parado
ninguém vai dizer
carros parados no meio da rua
pessoas imóveis caídas no chão
um sonho imenso perdido no vento
relógio parado na torre central
e a noite negra tão louca e deserta
sempre parece que o dia não vem
as horas passam, os sonhos pecam
os sinos tocam sem ninguém tocar
o tempo parado um sinal do silêncio
uma hora sem vida um possível respeito.

Danilo Pinoti

terça-feira, 21 de julho de 2009

Pequenas Poesias

Alguém que se perde em seu próprio segredo
Morre de medo de não se encontrar
Perto do abismo do sexto sentido
Algo de novo ainda pode chegar
Lua minguante uma faca entre o sol
Sombras e escuro um desejo de amar
Olhos grudados na tela pintada
Fechos rasgando uma tenda a voar
Cortes fissuras e moldes abertos
Outras palavras no inverso a soar
Forte é o acaso da calma sem ar
Loucos aos montes nos levam a pensar
O que faz tanta falta é simples levar
Sonhos, carinhos, segredos, cantar...

Danilo Pinoti

sábado, 18 de julho de 2009

Pequenas Poesias

Olhos negros
uma mar  de escuridão
um rio de folhas secas
uma carta escrita a mão
navegando um barco a vela
sem rumo nem direção
sem olhar a sua volta
não enxerga a imensidão
frases feitas em colinas 
dias prontos pra esquecer
uma gota de ousadia 
mais um dia pra viver
quem tem medo como a vida
quem tem vida come o ar
ele nunca teve fome mas precisa respirar.

Danilo Pinoti

sexta-feira, 17 de julho de 2009

Paz

O que é a paz?
Algo que em palavras fica difícil explicar...mas quando se sente é como uma luz azul quase prata que se fecharmos os olhos e abrirmos o coração fica visível e claro.
É assim que estou me sentindo agora...

Danilo Pinoti

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Pequenas Poesias

Ele tinha apenas doze anos quando o vi
tinha os olhos tristes e um passado a lhe seguir
parecia bem pequeno, mas ao mesmo tempo não
resolveu contar a sua estória então
menino...bandido...olhar perdido na lembrança
menino... bandido...uma vida que ninguém deu esperança.
cresceu sabendo que ninguém olhava ao lado
pessoas imóveis em carros importados
sem saber o que se passa
só sabem criticar e fazer graça
e terminou dizendo que dali pra frente
ia olhar com outros olhos
não estava mais doente
só precisava conversar com alguém urgente...
menino...bandido...

Danilo Pinoti

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Pequenas Poesias

Veio pra mim como um vento
sentimental movimento
nas quatro paredes do quarto
como uma voz de lamento
é se perder no deserto
e nunca saber se está certo
sentir se pairando no ar
sabendo que pode chegar
subir para o céu em uma escada rolante
descer para o inferno queimando constante
com o que resta de nós

Danilo Pinoti

Em breve!!!!!

Gente!!!
Estou trabalhando muito, mas em breve volto com as pequenas poesias!!!!
bjs

terça-feira, 23 de junho de 2009

Arquivo de mensagens

A vida sempre nos prepara
surpresas e escolhas. Temos que ser prudentes e ao mesmo
 tempo corretos e justos...

domingo, 21 de junho de 2009

Pequenas Poesias

Acho que agora 
pensando melhor
sou desses casos
variados e leves
pois tenho pouca relação
com o incerto 
o meu medo de pensar em nada
me leva ao caos
o grito é como alerta
e ecoa em outras dimensões
mais distantes
quero ver um erro novo 
pois de coisas certas e banais 
o mundo está por conta...

Danilo Pinoti

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Parabéns

Gostaria de parabenizar o maravilhoso Chico Buarque pelos seus 65 anos,
esse sim é um ícone da verdadeira musica brasileira e um exemplo de que a arte e a poesia são eternas.

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Pequenas Poesias

A tua voz é tão doce
como uma fruta muito doce
quando madura
Teu rosto é um livro de poemas 
uma moça vestida com sedas
sua religião não permite
que estenda a mão
Tu és a inspiração 
entre a musica e a poesia
a parte da pedra do alto do morro
e da serra
A sutileza de suas palavras
sussurrante em meu ouvido
Essa é a vida que tenho
com a filha do senhor do engenho.

Danilo Pinoti

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Pequenas Poesias

O resto do mundo
o resto de nada
o início de tudo, figuras marcadas
são leis e promessas 
gravadas nos muros
estórias completas 
de um mundo perfeito
o sonho da vida ,como a vida pede
eu penso em mudar 
mas tudo me impede
as palavras sábias de um grande mestre
são palavras fartas 
pra quem sabe ler
é tudo imcompleto, não há como agir
fingir que não aconteceu
as mentiras são curtas e eu faço de tudo
pra não me perder...

Danilo Pinoti

terça-feira, 9 de junho de 2009

Despedida

Queridos amigos,
Depois de quase cinco anos de dedicação ao projeto Terça Insana, estou me desligando para seguir outros caminhos... Aprendi muito com todos e levo todo amor e carinho que tiveram comigo em todos esses anos.
Muito obrigado...
Não é adeus...Apenas uma partida
Na vida precisamos criar novos caminhos...
E eu ainda sou um mero aprendiz...

Danilo Pinoti

segunda-feira, 8 de junho de 2009

Pequenas Poesias

Os meus olhos podem ver
o que eu não quero\
Os meus dias podem se tornar um inferno
Agradeço se você me ajudar\
Falta pouco para eu poder me adaptar\
Só me resta dizer
vale a pena viver 
numa boa
Só me resta dizer 
Vale a pena viver...
Volta logo e vem correndo\
olha em volta e diz sem medo
que o sorriso é o segredo\
de todos dias inteiros\ 
Eu quero estar com você 
hoje e sempre\
Olhar do décimo andar derrepente\
e ver que tudo mudou pra melhor...

Danilo Pinoti


Arquivo de mensagens

Não perca seu eixo, pois sem ele
o desequilibrio toma conta do nosso espirito...

André

terça-feira, 2 de junho de 2009

Pequenas poesias

Hoje talvez nem esteja tão certo
de quantas dunas se faz o deserto
e o desejo da água mais pura
que se refina neste entardecer
agora é a lua que faz o inverno
não mais esconde seu lado obscuro
tantas tardes faltam para o futuro
agora o presente se faz passado
em folhas de papel de cor
os versos cuspidos ao vento
invadem as nações sem sentido
o medo é tão perto do zero
que chega a sumir no segundo
pobre quem não fala nada
rico quem vomita estrofes
e a mente aberta ao mundo
sabe que a pressa é o desespero
e o acerto de contas é inevitável...

Danilo Pinoti

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Pequenas Poesias

Lua nua
serena a rua
suja, escura
som de dor
quem sabia
saberia
ser somente
um ser sabor
flor daquilo
gota forte
alguém perto
algo for
são semanas
sem concretos
sem risada 
sem amor
sem o dia 
a noite esfria
luz primeira
frio, calor
quem sabia 
saberia
ser somente
amigo, amor...

Danilo Pinoti

Arquivo de mensagens

Uma vez, um certo homem disse:
A espiritualidade nos mostra claramente que somos todos eternos,e estamos aqui para concertar os erros passados, e para que possamos nos redimir.
Para que quando chegar a hora de irmos seguiremos, fortes e sabendo que fizemos o possível e o 
impossível para nos limpar e alcançar a luz divina.

Aloisio

domingo, 31 de maio de 2009

Arquivo de mensagens

Hoje estamos perto de saber, o que jamais será contado
por ninguém.
Em cada momento se segue uma enorme energia...

André

Pequenas Poesias

Alguém me disse aquele dia 
que eu seria feliz
e quem diria não disse
 que era pra dizer adeus
o mundo inteiro gira em torno 
do que é desigual
no fim das contas 
ninguém é normal
aquela estrela que passa
aquele sonho que racha o som
sereno do céu
o sonho é tudo invenção
um grande barco que leva a canção
Por onde o tempo levar
ou quando o sono chegar
eu volto a ser imortal
e tudo é tão natural
o mundo muda de estação 
e estamos sempre na mesma direção
não ouço nada além do som
das trovoadas e trovões
que sempre vem em dias longos
mas sempre em dias tão perfeitos...

Danilo Pinoti

sexta-feira, 29 de maio de 2009

Pequenas Poesias

Hoje nasceu lá no morro
um sorriso de alguém que chegou
quis escolher seu destino 
e recuperar seu valor
agora que o tempo é passado
a vida lhe entrega uma flor
as pedras invadem o caminho
de quem sabe aonde pisar
e os olhos felizes do menino
que novamente acordou 
e nada pode recordar....

Danilo Pinoti

Arquivo de mensagens

Porque o medo?
O medo é uma palavra que não existe, foi inventada para que os mais fracos ficassem submissos aos poderosos.
Tenha fé, acredite em você...
Aceite o que lhe foi dado e seja feliz!!!!!

Aloisio

 

Adj. Que manifesta submissão; humilhado; derrotado/ Que está em lugar ou posição inferior.

Faz tudo o que o outro quer sem reclamar.