segunda-feira, 27 de julho de 2015

Pensamentos Vagos


domingo, 26 de julho de 2015

Pequenas Poesias

Não sou vilão de uma guerra fria
nem covarde encostado em balcão
um calvário ou cenário perdido
ator da minha própria ilusão
Não vomito falso moralismo
ou segredos de outra ocasião
neste encontro ainda meio perdido
peço um balsamo pra minha aflição
exausto eu entrego a corrida
e finda minha breve missão
meu laço de nó sem sentido
meu corpo pedindo silêncio
e o tempo trazendo trovão...
Danilo Pinoti


sábado, 2 de maio de 2015

Quanto tempo?

Quanto tempo você fica
Olhando o sol na primavera?  
Quanto tempo se decide
Que já é tempo de entender?
Quanto tempo passa agora
Se esse tempo nem chegou?
Quanto tempo a gente insiste
Em algo que nem começou?
Quanto tempo é pouco tempo
Se o tempo não te pressa?
Quanto tempo é permitido
Se a hora não recomeça?
Quanto tempo a vida leva
Se escolha for correta?


Danilo Pinoti

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Clarice Falcão - De Todos Os Loucos do Mundo

Pequenas Poesias

Um simples suspiro inconsciente
pode alterar toda energia
mesmo sem a intenção de mal algum
o tanto que fica do perfume
e o respiro suave de uma nuca seca
embriaga os meus instintos
faço tudo que puder pra te ver em pé
mas se cair por vontade não tem nem cafuné
eu quero aprender a gostar de você
como gosto de mim
mas enfim...
Pode ser apelo, mas pelo menos é real
meu mundo vai ficar bem
sem pressa, sem tamanho
sem jeito eu ganho o seu sorriso
tenho a vida inteira pra sonhar
coração de mãos não impressionam
freiras cantarolando é bem mais sincero
antes de acordar do seu barulho silencioso
acerto os pontos com a garota do prédio ao lado
álcool, trago e poemas ilustrados
Se te ver em breve
quem sabe falamos das bobagens do passado
e a hora passa como descanso do fim da tarde
mesmo sendo muito tarde...

Danilo Pinoti